CONSTRUINDO SAÚDE FINANCEIRA
POR INTERMÉDIO DA COOPERAÇÃO

Rui Schneider da Silva

entrevista com
O presidente

GRI 102-14; GRI 102-15

Quais foram os principais impactos, riscos e oportunidades para o Sicoob SC/RS em 2021?

Rui – Com a vacinação contra a covid- 19, que possibilitou a retomada da economia em 2021, o que impactou as nossas cooperativas foi a demanda por crédito por parte das empresas individuais, pequenas e médias. Para fazer frente às demandas utilizamos recursos próprios, além de buscarmos no Banco Sicoob e efetuarmos convênios com o BRDE, BNDES e Governo do Estado de SC e RS (Juros Zero e Programa SC Mais Renda) para dar apoio aos micros, pequenos e médio empreendedores associados do Sicoob SC/RS. Mesmo durante a fase mais crítica da economia, em 2020, as operações com o Agronegócio não pararam. Aliás, surpreendentemente houve uma grande demanda para melhorias de instalações e ampliações na produção, com novos investimentos. Os convênios formalizados pelo Sicoob Central SC/RS possibilitaram apoiar os nossos associados que atuam junto às principais agroindústrias. Mas a pandemia de covid-19 trouxe impactos, também, que provocaram oscilações na taxa Selic e adaptação das capacitações de dirigentes e funcionários  de modo virtual, significando uma grande reestruturação da Escola de Dirigentes e Executivos (Edex) do Sicoob Central SC/ RS. Houve, ainda, a capacitação de todo o Sistema para operar de acordo com a nova Lei  Geral de Proteção de Dados (LGPD) e os cuidados, cada vez maiores, com a Política Cibernética. E se o momento é de grandes adaptações e transformações, vale registrar, ainda, as oportunidades que se abrem com o novo sistema de Open Banking/ Finance, novos relacionamentos e parcerias e a aproximação maior com os cooperados e futuros cooperados por meio digital.

Quais as principais estratégicas do Sicoob SC/RS para disseminar aos públicos estratégicos o quanto a Cooperação é Sustentável?

Rui – O Sicoob vem atuando de forma a tornar o cooperativismo financeiro conhecido pelo maior número de pessoas possível. Para alcançar este objetivo, temos feito investimentos importantes para divulgação das nossas soluções financeiras nos diversos meios de comunicação, além disso, apoiamos projetos e iniciativas que contribuem para a disseminação do cooperativismo financeiro como forma mais justa e sustentável no cuidado da vida financeira. Além dessas ações, o Instituto Sicoob também tem um papel importante na atuação junto às comunidades. No Sicoob, promover justiça financeira e prosperidade, com base em valores, é a certeza que estamos ajudando a construir um futuro melhor para todos. Hoje o Sicoob SC/RS está presente em 94% dos municípios catarinenses e ampliando, estrategicamente, sua presença em municípios gaúchos e paranaenses, com um total de quase 1,2 milhão de cooperados.  O Sicoob SC/ RS administra R$ 30 bilhões em ativos.

“Construindo saúde financeira para um futuro melhor” foi o tema do Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito 2021. Como as ações das cooperativas contribuem para promover justiça financeira e prosperidade na vida das pessoas?

Rui – As cooperativas de crédito possuem os mesmos produtos e serviços de um banco, mas oferecem outras vantagens. Numa cooperativa, os associados são donos do negócio e não há objetivo de lucro. O que se busca é oferecer um amplo portfólio de produtos e serviços de qualidade de maneira mais justa para a população. Aos poucos, graças também às campanhas de comunicação e marketing, estamos ampliando a nossa presença no Sistema Financeiro Nacional.

O cooperativismo de crédito cresceu 35% em 2020, mais que o dobro do registrado pelo sistema financeiro, de 15,6%. No caso de pessoas jurídicas, esse avanço foi ainda maior, de 51%.

Outro ponto positivo do cooperativismo, que consta em um de seus princípios, é “o interesse pela comunidade”. O vínculo das cooperativas com as principais instituições sociais e de saúde tem sido permanente, promovendo constantes ações que visam melhorar a qualidade do atendimento à população por parte dessas instituições. Durante a pandemia, o Sicoob manteve-se firme ao lado dos nossos cooperados, concedendo crédito no momento em que tanto as pessoas quanto as empresas mais precisavam de recursos para superar a crise.

Como o Sistema Sicoob SC/RS influencia o cooperativismo financeiro?

Rui – Ao estabelecer taxas e juros mais baixos ou em alguns casos até mesmo isentar as taxas das operações e serviços, o Sicoob estimula a concorrência com as demais instituições financeiras. O Sistema Sicoob SC/RS também é gerador de oportunidades de trabalho, financia a produção de alimentos para o Brasil e o mundo, e investe nas comunidades onde atua, tornando as cidades mais sustentáveis.

O Sicoob SC/RS é o maior financiador privado da produção rural no estado de Santa Catarina e começa a expandir suas atividades principalmente para o Rio Grande do Sul.

Quais os principais desafios do Sistema Sicoob SC/RS para 2022?

Rui – Um dos grandes desafios para os próxi- mos anos será a busca de recursos para capitalização das nossas singulares, com o objetivo de dar estabilidade aos índices exigidos pelo Banco Central, bem como a captação em Poupança, LCA e LCI, visando dar lastro para operarmos no agrone- gócio e setor imobiliário. Há também desafios gigantescos com as novas tecnologias, onde o Sicoob já tem atuação destacada. Cada vez mais as empresas e as instituições financeiras, sobretudo, terão que investir grandes recursos em inteligência artificial e sistemas de segurança. A automação de processos por robôs (RPA – Robotic Processos Automation) é uma realida- de cada vez mais presente no dia a dia das cooperativas. Mas além dos desa- fios do digital, há enormes desafios sociais, ambientais e de governança (Gestão ESG). É preciso buscar a fide- lização num mercado cada vez mais aberto e independente para o cliente/ cooperado, fazer a captação de capi- tal para alavancar as operações de financiamento, buscar taxas compe- titivas e ampliar as parcerias para alcançar melhores performances no disputado mercado do Sistema Finan- ceiro Nacional.